Últimos Artigos

04/04/2018

Congresso derruba veto do Refis das PMEs e libera parcelamento de dívida tributária do Simples; entenda

Leia na Íntegra…

02/02/2018

Anulada alteração de beneficiários de seguro de vida feita por segurado supostamente alcoolizado

Leia na Íntegra…

01/02/2018

Moraes suspende lei de Rondônia que impedia cobrar ICMS de igrejas e templos

Leia na Íntegra…

30/01/2018

TRF1 RECONHECE DIREITO DE CRÉDITO DE PIS E COFINS SOBRE DIREITO AUTORAL/ROYALTIES

Leia na Íntegra…

30/01/2018

Mantida indenização de R$ 3 mil a homem que se machucou em buraco na via pública

Leia na Íntegra…

25/01/2018

Desembargador de MS usa WhatsApp para falar com advogados

Leia na Íntegra…

24/01/2018

Por confusão societária, juiz decreta falência do jornal Diário de S. Paulo

Leia na Íntegra…

24/01/2018

Exercer função de confiança por mais de 10 anos garante estabilidade financeira

Leia na Íntegra…

15/01/2018

Demissão coletiva sem ouvir sindicato é inconstitucional, decide juíza de SP

Leia na Íntegra…

11/01/2018

Em casos específicos, ciência inequívoca dispensa intimação formal sobre penhora

Leia na Íntegra…

Utilidade Pública

04/04/2019

Tt

Leia na Íntegra…

28/08/2008

Lista de remédios com seus genéricos e similares

Leia na Íntegra…

Localização

Rua Martiniano de Carvalho,
864 - 11º andar - Cj 1104
São Paulo - SP - 01321-001

Telefones

(55-011) 3284-3276
(55-011) 3284-1167
(55-011) 3287-3940

Administração

Boletim On-Line

Mantida indenização de R$ 3 mil a homem que se machucou em buraco na via pública

A Segunda Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) manteve indenização por danos morais fixada em R$ 3 mil pelo Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP) em razão de acidente sofrido por um homem que caiu em buraco aberto na via pública. 

De acordo com o processo, ao cair no buraco, na cidade de Mauá (SP), o homem torceu o tornozelo e rompeu o ligamento. Além de passar meses usando bota ortopédica, sem poder trabalhar, foi-lhe informado sobre a necessidade da utilização de palmilha sob medida e de tornozeleira. 

A prefeitura foi condenada a pagar R$ 3 mil pelos danos morais, mas, para a vítima, o valor foi irrisório, não atendendo ao caráter pedagógico da sentença. 

Transtorno compensado 

O relator, ministro Herman Benjamin, no entanto, entendeu que a quantia fixada foi suficiente para compensar os transtornos causados pelo acidente. Segundo ele, para eventualmente modificar a decisão do TJSP, o STJ teria de reexaminar as provas do processo, o que é inviável no âmbito do recurso especial (Súmula 7). 

A revisão pelo STJ de valores fixados a título de reparação de danos extra patrimoniais somente é possível quando a quantia fixada é exorbitante ou insignificante, o que não foi reconhecido pelos ministros da Segunda Turma. 

REsp 1707607

FONTE: https://aplicacao.aasp.org.br/aasp/imprensa/clipping/cli_noticia.asp?idnot=26085

 Envie este artigo para alguém conhecido


VÍDEOS


Voltar